sexta-feira, 30 de maio de 2008

Caracóis!





Demorei anos até conseguir, comer bolos ou pastéis com frutas secas ou cristalizadas.
Eu era do tipo de criança que apartava todo e qualquer ingrediente sólido ou colorido, da massa do bolo-rei, bolo inglês ou caracóis, o que deixava a minha mãe, com os nervos em franja! Adorava as massas, doces e macias, mas com frutos..., não obrigada!
Olhando para trás, vejo que o processo de aceitação, foi gradual. Primeiro comecei a tolerar a presença das passas, depois dos frutos secos e por aí fora, até que hoje, já consigo comer uma fatia de bolo-rei, do principio ao fim, sem ter antes, de a esburacar literalmente, em busca dos tais "sólidos e coloridos" que tanto me chateavam.
Atingido esse objectivo, já valia a pena fazer caracóis em casa.
A primeira vez que os fiz, foi já há alguns anos e na altura fiquei toda entusiasmada, pois ia ter os meus dois rebentos, como testemunhas em primeira mão, das habilidades culinárias da mãe.
Preparei os caracóis cheia de boa disposição e levei-os ao forno a cozer. Quando saíram do forno, os caracóis estavam lindos e fofos, com as frutas coloridas a darem o ar de sua graça. Pincelei-os com geleia e ainda mais bonitos ficaram, a minha vaidade parecia massa a levedar, crescia e crescia à medida que ia dando os retoques finais nos meus lindos caracóis.
Era agora chegado o momento pelo qual eu esperara cheia de entusiasmo, o teste final, a grande prova... ( ou talvez não!).
Chamei os meus rapazitos e dei um caracol a cada um, para que provassem e dissessem de sua justiça.Os meus filhos deram a primeira dentada e eis senão quando, no meio de um silêncio carregado de ansiedade, o meu filho mais novo, com a inocência própria da idade, diz: " Mãe..., eu não gosto destas coisas duras e às cores".
Estas simples e inocentes palavras, caíram em mim, que nem uma rajada de vento norte, em cima de um soufflé acabado de sair do forno. O meu orgulho e vaidade, murcharam até ao chão e tal como eu, ficaram reduzidos à mais completa e triste insignificância. Disfarcei.., recompus-me... e quando "acordei" do safanão, a frase que me veio à cabeça foi..., "Não há nada que não se pague".
É caso para dizer, " Quem sai aos seus...".








Ingredientes:
375 gr. de farinha
50 gr. de manteiga
1 saqueta de fermento de padeiro desidratado ou 6 gr. de fermento de padeiro fresco.
2 gemas
Sal ( 1 pitada )
2,5 dl. de leite
Açúcar
Frutas cristalizadas e picadas
Sultanas ou passas
Nozes picadas

Preparação:
Peneire a farinha para uma tigela. Faça uma cova e ponha no meio as gemas, o sal, a manteiga derretida e arrefecida e o fermento de padeiro dissolvido num pouco de água morna. Misture estes ingredientes e comece a trabalhar a massa. Vá juntando aos poucos o leite morno, misturado com açúcar a gosto, ( dissolva bem o açúcar no leite, antes de o juntar à massa). Vá juntando o leite, até a massa atingir uma consistência maleável e até fazer bolhas. Provavelmente não vai precisar de juntar o leite todo, eu pelo menos não juntei. Trabalhe a massa puxando-a para a frente e depois de novo para trás, para lhe dar elasticidade. Faça isto durante 5 minutos. Ponha a massa numa taça enfarinhada, cubra com película aderente, tape com um pano quente e ponha em local aquecido e sem correntes de ar, para levedar até dobrar de volume.

Misture as frutas, as sultanas e as nozes com um pouco de açúcar.

Depois da massa ter levedado, sove a massa, para que o ar saia o que é muito bom para aliviar o stress.

Numa superfície enfarinhada, estenda a massa em rectângulo, pincele toda a superfície de massa com manteiga derretida e arrefecida e por cima ponha as frutas cristalizadas e as frutas secas, bem espalhadas. Enrole a massa com cuidado e una bem, o fecho da massa com a ajuda de um pouco de manteiga derretida. Corte este rolo em fatias grossas e coloque-as num tabuleiro untado com manteiga. Cubra com um pano quente e deixe levedar mais 30 m.

Pré-aqueça o forno a 190º, marca 5 no fogão a gás.
Passados os 30 m., leve os caracóis a cozer ao forno por 30 a 35 m. Quando estiverem prontos e dourados, tire-os do forno e ainda quentes pincele-os com mel ou geleia de alperce ou de maça. Deixe arrefecer e sirva.


Print Friendly and PDF

15 comentários:

LPontes disse...

É curioso, o meu percurso foi exactamente o inverso: em jovem era "tolinho" por frutas cristalizadas mas fui-me desgostando delas gradualmente e hoje evito quase tudo o que vai para além das passas (e do cidrão).
Claro que não cheguei ao ponto de esburacar o Bolo-Rei, mas já não é a mesma coisa...

LPontes

Filipa disse...

Mónica, quando era criança era exactamente como tu no que toca a frutos secos e cristalizados, tirava-os todos do meu caminho... Depois fui educando o meu paladar e hoje adoro. Bolo rei é que ainda não consigo comer, não gosto da massa.
Agora caracóis eu adoro e os teus ficaram lindos, parabéns!

beijinhos

Laurinha disse...

Como ficou bonito estes caracóis!!!
Aposto que deliciosos!
Beijinhos,

Natércia disse...

Mónica pode ser um para mim adoro! um bjo. Natércia...

Migas disse...

Eu sempre fui tranquila para comer e sou menina para gostar de bolos com frutos secos e frutas. Mas é bem comum essa antipatia pelos ditos. Quanto aos teus caracóis, ficaram lindíssimos! Quer-me parecer que és muito dotada para bolos e pães pois estes ficaram com um aspecto bem bonito! :o)

Beijos

Marizé disse...

Mónica eu revi-me completamente no teu testemunho, quando era criança adorava o bolo inglês, o bolo rei e os caracóis, mas não percebia porque é que aquelas coisas tinham de estar por ali espalhadas a atrapalhar as dentadas....
Felismente quase que me passou, digo quase porque em relação ás frutas ainda não consigo :-( Por isso só como bolo rei em casa e assim poder esburacar á minha vontade sem ninguém ver.

Bjs e bom fim de semana

ameixa seca disse...

Olá!
Eu também não gostava muito de frutos cristalizados. Aliás, continuo a não gostar. Se for em muita quantidade eu não como. Tem que ter a dose certa. Frutas secas sempre adorei e continuo a gostar muito. Neste caso o meu caracol teria quer ter mais frutos ecos que cristalizados :)
Belo blog. Vou adicioná-lo ao meu ok?

risonha disse...

eu, como sou uma rapariga de boa boca, sempre gostei de frutos secos e continuo a gostar...
por isso não me importava nada de ter um caracol desses para o lanche.

e fartei-me de rir ao ler a tua história com os teus filhotes... se tivesses dado um caracol á minha filha ela ter-te-ia dito a mesma coisa... lol

Leila disse...

Monica, que coisa mais gostosa isso!
ficaram lindos.
beijinhos

kikas disse...

dava muito jeito ter dois desses aqui para o lanche, mas é melhor ir a sua casa lanchar q tal aceita a ideia?!
bjs bom fim semana

Axly disse...

E como diz aquele outro ditado "O mundo dá voltas..." e tantas deram.
Mas não desanima não, primeiro por que ficaram lindos demais e segundo quem sabe um dia ele não muda de idéia^^
Kisss.

Emília disse...

Acho que nenhuma criança gosta de passas e frutas cristalizadas rss!! Eu também não gostava muito...agora adoro rss!! Receita guardada! Bjos

janeca disse...

Monica eu sou ao contrário de quase todas...ADORO Frutas nos bolinhos, se estivesse mais perto ia adorar comer as frutinhas que os seus filhotes tiravam,Há..Há..
Adorei os seus caracois.

Bjinho!

Mel L. Ramos Bryar disse...

Estes caracóis são conhecidos e comuns aqui no Brasil...legado deixados pelos Portugueses...eu amo frutas secas, cristalizadas não gosto, mas este pãozinho a tarde com um café...que delícia!bjs

Manuela disse...

Os caracóis ficaram lindos e a receita não parece difícil. Tenho de me aventurar um dia destes :-)

UA-16306440-1