quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Mexilhões com chilis e gengibre # Mussels with chilis and ginger





Uma das memórias mais longínquas que tenho é de alguns fragmentos de umas férias na ilha de Tavira. Isto numa altura em que quase ninguém ia para lá, tinha eu quatro ou cinco anos. Lembro-me da praia quase deserta. De imitar a minha mãe e enterrar os pés na areia molhada e fina à procura de conquilhas. E lembro-me principalmente do sabor da sopa que veio depois. Não me lembro da cor. Já nem sequer sei como era. Apenas me lembro do sabor. Um sabor que o passar dos anos transformou num aroma etéreo e transparente. Uma sensação boa, muito suave mas ainda assim indelével. A sopa que aconteceu apenas em Tavira.

Este foi o começo. Foi assim que o sabor do marisco, seja ele qual for, ficou para sempre ligado à areia fina e branca. Aos salpicos de água salgada. Aos dias de sol passados na praia. Ao Verão.

Nunca tentei reproduzir aquela sopa de conquilhas de há muitos anos atrás. Acho que se o fizesse, o encanto quebrava-se e por isso, prefiro guardar a perfeição da memória. E deixar que a sensação boa, suave mas indelével, volte uma e outra vez, quase sempre quando cozinho ameijoas ou mexilhões. Quase sempre quando a brisa fresca do mar entra pela janela aberta. Quase sempre no Verão.



In english
One of the oldest memories I have, are a few fragments of a vacation on the island of Tavira, Algarve. I was four or five years old and by that time, almost no one was going there. I still remember the almost deserted beach, and me imitating my mother and burying my feet in the wet, fine sand, looking for cockles. And I remember specially the flavor of the soup that came after. I don´t remember the color. I don´t even know how it looked like. I just remember the flavor. A flavor that with the passing of the years became an ethereal and transparent aroma. A good sensation, very soft and yet indelible. The soup that happened just once, in Tavira.

This was the beginning. This is how for me,  the flavor of seafood became forever linked to the fine white sand. To the splashes of salty water. To sunny days spent on the beach. To Summer.

I never tried to reproduce that cockle soup of so many years ago. I think that if I did it, the spell would be broken and so, I prefer to keep the perfection just in my memory. And let the good, soft and yet indelible sensation return again and again. Usually when I cook clams or mussels. Usually when the cool sea breeze enters through the open window. Usually in the Summer.











Mexilhões com chilis e gengibre

Cozinhar mexilhões é uma das atividades de Verão cá em casa. O molho varia sempre um pouco, de acordo com o apetite e o que há disponível 
Lembre-se que antes de cozinhar, são bons apenas os mexilhões que estão fechados. Depois de cozinhados, aproveite só os que estão abertos, os outros (fechados) não se comem. 

Ingredientes:
800 g de mexilhões com a casca
1 cebola média, cortada em rodelas
1 dente de alho picado
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de sementes de coentros em pó
1 colher de chá de pimentão doce (colorau)
1 chili verde, cortado em rodelas
1 chili vermelho, cortado em rodelas
1 colher de sopa de gengibre fresco laminado
1 dl de vinho branco
Sal a gosto

Preparação:
*Frite a cebola no azeite quente até ficar translúcida, junte os chilis, o alho, o gengibre, os coentros em pó e o colorau e frite mais um pouco até os ingredientes ficarem macios mas sem queimarem.
*Junte os mexilhões e depois o vinho branco, salpique com um pouco de sal a gosto ( pouco, deixe ferver e prove, e nessa altura junte mais se achar que precisa) e deixe levantar fervura.
*Tape o tacho e deixe cozinhar em lume forte por alguns minutos até os mexilhões abrirem.
*Sirva polvilhado com rodelas de chili e coentros frescos picados e com um bom pão estaladadiço para provar o molho.



Mussels with chilis and ginger

Cooking mussels is one of the Summer activities here in our home. The sauce is never the same, depending on the appetite and on what´s available in the fridge
Is always good to remember: Before cooking, use only closed mussels and after cooking eat only the opened ones. Discard the others (closed ones).

Ingredients:
800 grms mussels (with the shell)
1 medium onion cut into rounds
1 garlic clove, chopped
2 tbs olive oil
1 tsp paprika
1 tsp ground coriander seeds
1 green chili, cut into rounds
1 red chili, cut into rounds
1 tbs of thinly sliced fresh ginger
1 dl white wine
Salt to taste

Preparation:
*Heat the olive oil in a pan and fry the onion until translucent, add the chilis, garlic, ginger, coriander, papikra and fry a bit more until all the ingredients are soft but not burned.
*Add the mussels to the pan and pour the white wine, season with a bit of salt to taste and let it come to a boil, cover the pan with the lid and cook in a high heat for a few minutes, until the mussels are open.
*Remove from the heat, and serve with a few rounds of chilis and chopped coriander scattered on top.
*Eat with good crispy bread to soak up the lovely sauce.





Print Friendly and PDF

6 comentários:

Sophy disse...

Boa tarde Mónica!!!

Que texto bonito! Vejo que existe por aí uma mesa rústica nova.... ;)

Eu costumo ir todos os anos aos mexilhões e canivetes. Fazemos a travessia aqui no Rio Mondego com um barco do meu pai... depois é deixar a maré descer.

Adorei a sugestão, as fotos, a nova mesa...

Um beijo!

Ondina Maria disse...

Ai Mónica, que saudades da ilha de Tavira. Também eu era miúda quando iamos para lá, praias desertas, uma maravilha. Para mim aquela era uma ilha encantada, deserta, como as dos livros que eu lia :)
E sim, há coisas que devem mesmo ficar no nosso imaginário, que não devemos tentar reproduzir pois nunca terão o mesmo encanto. Há coisas que devem ficar envoltas no misticismo das nossas memórias...

monica Pinto disse...

Olá Sophy!
Esta mesa (que é mesmo uma mesa!)foi recentemente reciclada. Está com outro aspeto mas não é nova.
Devem ser ótimos esses passeios de barco em família e acabar o dia com uma patuscada de mexilhões e canivetes:))

Um beijinho

Olá Ondina
Há certas memórias tão boas e tão distantes que se tornam parte da nossa própria mitologia. Prefiro deixá-las onde estão, a arrastá-las de tão longe para a realidade.

Um beijinho

Francy in cucina disse...

If you have a minute, please check out my blog and follow me if you liked it. I'll appreciate it so much! Thanks!
www.francescainthekitchen.blogspot.com

kankana disse...

I love mussels and specially when it has a red sauce like how you made it. Loved the story you shared... it's funny how at times certain dishes gets registered in our brain for ever.

monica Pinto disse...

Hi Francy
I will check it out. Thanks for your visit.

Hi Kankana
Thank you. Yes it´s true, my best memories of food will always be a part of me and I love it.

UA-16306440-1